Destaques dos avanços proporcionados pelas tecnologias Irga ao arroz gaúcho

 Destaques dos avanços proporcionados pelas tecnologias Irga ao arroz gaúcho

 O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), por ser uma instituição de pesquisa e extensão mantida pelos produtores, está presente nos principais avanços da história da orizicultura gaúcha, tanto na geração de novas tecnologias (pesquisa) como na difusão dessas aos produtores (extensão).

Como destaque, dos avanços proporcionados pela pesquisa do instituto nos últimos 20 anos, podemos citar o desenvolvimento de cultivares que levaram ao aumento da produtividade de arroz das lavouras do Rio Grande do Sul.

Nesse sentido, podemos citar cultivares resistentes a herbicidas e altamente produtivas, como a cultivar Irga 424, que proporcionou o controle do arroz daninho em áreas infestadas resultado em maiores produtividades.

Além de produtivas, algumas cultivares de arroz do Irga merecem destaque pela qualidade de grãos e resistência à brusone, importantes características para o produtor perante a indústria e manejo de doenças.

No que tange à extensão, o Projeto 10 se destaca pela inovação no processo de transferência das tecnologias relacionadas às práticas de manejo, como época de semeadura, manejo da adubação e controle de plantas daninhas, entre outras, que foram massivamente adotadas pelos produtores, que resultou no aumento da produtividade média do arroz do RS.

Desse modo, nestes últimos 20 anos os avanços do cultivo de soja em rotação com arroz em terras baixas, também é destaque.

Inúmeros trabalhos realizados pelo Irga têm viabilizado o cultivo da soja em áreas arrozeiras. Hoje, a área de cultivo de soja em terras baixas é de mais de 300 mil hectares. Mais recentemente, o Irga, em conjunto com outras instituições, está avançando no sentido de intensificação sustentável da lavoura de arroz em rotação com soja e outras culturas integradas à produção pecuária, para os usos mais eficientes dos insumos e menos riscos ao ambiente.

Atualmente o Programa de Pesquisa do Irga está estruturado em cinco Linhas de Pesquisa (melhoramento genético do arroz irrigado, manejo integrado da cultura do arroz irrigado, qualidade e tecnologia de grãos e sementes, sistemas de integrados de produção agropecuária em áreas de arroz irrigado e qualidade ambiental do agroecossistema do arroz irrigado), que objetivam o desenvolvimento sustentável do setor orizícola do Rio Grande do Sul.

Embora as linhas Qualidade e tecnologia de grãos e sementes e Sistemas integrados de produção agropecuária recentemente ganharam importância, todos os projetos desenvolvidos, dentro de cada linha de pesquisa, visam atender as principais demandas da lavoura arrozeira. Sendo assim, o sucesso conjunto dessas pesquisas irá agregar características competitivas à lavoura de arroz do Rio Grande do Sul.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Receba nossa newsletter