Edições: Edição 74 - Maio de 2020

Parceria além da lavoura

 Unir forças é parte das soluções para que a lavoura de arroz gaúcha supere suas dificuldades, otimize o uso de recursos, reduza os custos e busque rentabilidade. A sentença é do engenheiro agrônomo José Mathias Bins Martins, 54 anos, sócio-proprietário da Fazenda Cavalhada e diretor-técnico da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do […]Leia mais

Drenagem é fundamental na entressafra

 Para a pesquisadora do Instituto Rio Grandense do Arroz Mara Grohs, não se pode esquecer que durante todos os manejos possíveis de entressafra em terras baixas, a drenagem é, talvez, a intervenção mais importante, visto que os micro-organismos mais efetivos (aeróbicos) necessitam de oxigênio. “O objetivo final desses procedimentos é que o produtor chegue em […]Leia mais

Covid-19 eleva cotações globais

Mesmo com os estoques mundiais em patamar recorde, demanda maior e quebra da logística afetam setor .  Apesar de os estoques mundiais de arroz terem atingido o patamar recorde de 272 milhões de toneladas em base casca (ou 181,1 milhões de toneladas em base beneficiado), os meses de março, abril e maio estão sendo agitados […]Leia mais

O impasse das plantas de cobertura

Azevém ajuda ou atrapalha no sistema de sucessão ou rotação do arroz e soja? .  A escolha e o uso das plantas de cobertura são uma temática há anos estudada na tentativa de se achar a planta perfeita para integrar-se ao sistema de produção orizícola. O azevém tenta ocupar esse espaço, mas está longe da […]Leia mais

Comércio mundial tende a se recuperar

 Em 2019, o comércio mundial diminuiu 9% para 44,1 Mt contra 48,5 Mt em 2018. Para 2020, as projeções indicam um aumento em 2,2% para 45,1 Mt. Porém, as interrupções nas cadeias de suprimentos, devido à pandemia de covid-19, poderiam reduzir as projeções. Em 2019, os principais importadores asiáticos, exceto Filipinas, reduziram demandas. Em contraste, […]Leia mais

Sob controle

Pesquisa mostra que arroz, dentre os grãos, é a cultura que menos usa defensivos.  A demanda de defensivos agrícolas em diferentes culturas do agronegócio brasileiro foi objeto de estudo recente dos professores José Otávio Machado Menten e Lourival Carmo Monaco Neto, ambos docentes da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São […]Leia mais

A hora é essa

Com os EUA fora do mercado, Brasil e o Mercosul podem avançar posições na região .  Enquanto semeia a sua próxima safra até o final de maio e tem apenas estoques residuais e em mínimo volume para vender, os Estados Unidos estão abrindo um flanco para que o Mercosul fortaleça suas posições exportadoras nas Américas, […]Leia mais

Menos ingrediente ativo por hectare

 A análise realizada pela Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz (Esalq/USP) considerou o tipo de defensivo demandado em cada uma das culturas analisadas. Em termos de toxicidade, especialmente para os seres humanos, há uma significativa diferença entre as classes de defensivos, de forma que, em linhas gerais os herbicidas são os menos tóxicos, seguidos […]Leia mais

Receba nossa newsletter