Irga entre dois nomes para a presidência

 Irga entre dois nomes para a presidência

Machado e João Batista: no páreo para a presidência

(Por Cleiton Evandro dos Santos, AgroDados/Planeta Arroz) Contrariando a expectativa, o governador Eduardo Leite e a secretária de Agricultura Silvana Covatti não anunciaram durante a Expointer 2021, encerrada neste domingo, o nome do novo presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) para substituir o engenheiro agrônomo Ivan Bonetti. Ele se exonerou há quase 75 dias e, novamente, o cargo está vago. É a terceira vez no governo de Eduardo Leite. A primeira foi antes da confirmação de Guinter Frantz – que Leite herdou de José Ivo Sartori – seguida pela saída de Frantz, e depois pela saída de Bonetti.

Há dois nomes no páreo para a presidência. O primeiro deles é do assessor da família Covatti – e presidente do Progressistas de Camaquã – Rodrigo Machado, filho do ex-secretário estadual da Agricultura, João Carlos Machado. João Carlos também foi prefeito da cidade da Planície Costeira Interna e Rodrigo não obteve êxito na campanha para vereador. Ele é agricultor e pecuarista e lidera a corrida pelo cargo no fator político. Seria o presidente, até que uma mobilização classista fortaleceu a posição de outro candidato.

O diretor comercial do Irga, João Batista Camargo Gomes, tornou-se o nome preferido de conselheiros, da Federarroz e da Farsul, levando em conta o seu bom desempenho no cargo em oito meses, o diálogo que conseguiu estabelecer entre os setores e com a Casa Civil e a Secretaria da Agricultura e Pecuária, e também pelo foco e o conhecimento dos problemas que enfrenta o Instituto. Ele também tem sido um agente propositor de soluções, ajudou a elaborar um plano de ações que foi proposto ao governo e está muito atento aos movimentos administrativos e setoriais. O próprio presidente interino do Irga, Eduardo Milani, que também é diretor administrativo do Irga e cargo de confiança da família Covatti, apoia Camargo Gomes para a presidência.

Camargo Gomes é médico veterinário, advogado e produtor de soja, arroz e pecuária no Litoral Norte, foi presidente e diretor da Cooperativa Arrozeira Palmares e presidente do Sindicato Rural de Osório, o que lhe dá o respaldo junto às entidades setoriais. As duas indicações estão sobre a mesa da secretária Silvana Covatti, em debate com a Casa Civil, e à espera de definição.

CONSENSO

Já a diretoria técnica do Instituto já tem um nome de consenso, é a engenheira agrônoma Flávia Tomita, atualmente gerente da Divisão de Pesquisas e da Estação Experimental do Arroz do Irga, em Cachoeirinha (RS). Ela substituirá ao engenheiro agrônomo Ricardo Machado Kroeff, funcionário de carreira, ex-coordenador regional da Planície Costeira Interna, que pediu demissão e ficou um tempo afastado para tratamento de saúde. Tomita, que já é pioneira por ser a primeira mulher a coordenar a EEA/Irga, também será a primeira diretora técnica na história da instituição.

Flávia Tomita: pioneira na Estação Experimental e também como diretora no Irga

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Receba nossa newsletter