Na posse do novo presidente do Irga, governador confirma uso integral da taxa do setor para o instituto

 Na posse do novo presidente do Irga, governador confirma uso integral da taxa do setor para o instituto

Governador Leite e secretária Silvana Covatti prestigiaram a posse de Rodrigo Machado, no Irga (Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini)

(Por Vanessa Kannenberg) O governador Eduardo Leite oficializou, na tarde desta quinta-feira (16), a nomeação de Rodrigo Machado como presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). Durante a solenidade, o chefe do Executivo estadual fez um anúncio histórico pela cadeia produtiva: uso integral da taxa de Cooperação e Defesa da Orizicultura (CDO) no próprio Irga.

“Anunciamos hoje o novo presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz, Rodrigo Machado. Ele terá nas mãos o desafio de gerir um novo momento muito esperado pelo setor: 100% da taxa CDO estará à disposição para investimentos no setor arrozeiro, já garantido para 2022. Foi um dos compromissos que eu assumi com a cadeia produtiva e que estamos cumprindo, assim como asseguramos que o porto do Rio Grande tenha um espaço adequado para o escoamento da produção orizícola, com o novo terminal logístico do arroz”, anunciou o governador.

A CDO é paga pelos arrozeiros, mas o montante, há anos, entrava no caixa único do Estado e, com isso, parte do valor não era revertida para o instituto. Com a mudança, o Irga será fortalecido e, consequentemente, todo o setor produtivo também.

“Este anúncio só está sendo possível hoje, porque fizemos um plantio de outra natureza, uma semeadura feita com muito esforço e dedicação ao longo desses dois anos e nove meses da nossa gestão, com reformas estruturantes, redução de despesas e iniciativas até amargas. Mas que, agora, está nos possibilitando essa colheita importante, podendo repassar a CDO diretamente para o Irga. Agora, e trabalharmos todos juntos, Irga, a Secretaria da Agricultura e entidades do agro, para direcionarmos estes recursos para onde é mais necessário, de forma que impactem da melhor forma possível no setor, garantindo irrigação, promoção a pesquisa e desenvolvimento da cadeia produtiva do arroz, aumentando a produtividade e a competitividade do RS”, complementou Leite.

PRESIDÊNCIA

A presidência do Irga estava vaga desde início de junho, quando o agrônomo Ivan Bonetti deixou o cargo. Na próxima semana, deve ser empossada a nova diretora técnica, Flávia Tomita, completando a diretoria do instituto. O diretor administrativo, Eduardo Fortes Milani, e o diretor comercial, João Batista Camargo Gomes, completam o primeiro escalão da entidade.

Machado tomou posse nesta quinta-feira (16) – Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini

“A produção arrozeira tem uma imensa importância para o RS, pela renda e empregos que gera não só no campo, mas na indústria e nos serviços também. O Irga tem um papel fundamental, por meio dos seus extensionistas, técnicos e pesquisadores. Me sinto honrado em ser escolhido como presidente e, além de agradecer, quero dizer que a nossa diretoria vai trabalhar muito para tornar o instituto cada vez mais relevante para o Estado”, afirmou Machado.

A secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti, destacou que a diretoria do Irga terá todo o seu respaldo a fim de consolidar a reestruturação do instituto e implementar as transformações necessárias.

“O Instituto Rio Grandense do Arroz requer um olhar especial e temos que dar uma resposta com celeridade a este setor tão importante. Nosso Irga merece ser fortalecido, assim como os servidores do instituto merecem uma maior valorização e melhores condições de trabalho. Eles entregam resultados preciosos para o nosso produtor”, ressalta Silvana, ao lembrar que o Rio Grande do Sul responde por cerca de 70% da produção nacional de arroz.

Em relação ao anúncio do repasse da taxa CDO na sua integralidade ao instituto a partir de 2022, a secretária comemorou. “Ajudará o Irga a enfrentar as adversidades e a viver uma nova fase”.

Postagens relacionadas

1 Comentário

  • Talvez com o repasse integral do CDO para o IRGA ele consiga administrar melhor, mas tenho minhas dúvidas, não tem experiência, vai na carona do pai que é produtor e foi prefeito lá na cidade de Camaquã – RS, por que ele mesmo nem para vereador foi eleito. Fico pensando que um cargo desse nível, e não falo só do IRGA, em outros órgãos e instituições também é assim, cargo político, ou seja, troca de favores. Mas enfim, manda quem pode e obedece quem precisa, como fala o ditado. De qualquer forma uma boa sorte para aqueles que de uma forma ou de outra dependem do IRGA para alguma coisa. Brasil Acima de tudo, Deus acima de todos.

Deixe um comentário

Receba nossa newsletter