Preço na Índia caí ao menor nível em cinco meses com problemas logísticos

 Preço na Índia caí ao menor nível em cinco meses com problemas logísticos

Trades da Índia estão preocupados com as dificuldades de logística que podem ser causadas pela covid-19

(Reuters) Os preços do arroz do maior exportador mundial, a Índia, caíram para os mais baixos patamares em cinco meses esta semana devido a uma rúpia mais fraca perante o dólar norte-americano e os crescentes casos de coronavírus que criaram diversos gargalos logísticos ao longo do mercado interno e também externo.

A variedade parboilizada com 5% quebrados da Índia caiu para US $ 374- $ 379 por tonelada, contra US $ 386- $ 390 praticados na semana passada.

A segunda onda da covid-19 começou a afetar a logística do país, desde o beneficiamento de arroz até o transporte de cargas para o porto, disse Nitin Gupta, vice-presidente de negócios de arroz da Olam Índia.

“Ainda assim, as operações não foram interrompidas, mas poderiam ser se os casos continuassem a aumentar”, assegurou o dirigente.

O total de casos COVID-19 da Índia ultrapassou 18 milhões na quinta-feira. A rupia indiana, entretanto, permaneceu fraca.
BANGLADESH 
O vizinho país, Bangladesh, também se recupera de uma nova onda de infecções que forçou o país a um lockdown prolongado até 5 de maio, dificultando a colheita da nova safra arrozeira devido à falta de mão de obra.

Tradicionalmente o terceiro maior produtor de arroz do mundo, Bangladesh emergiu como um grande importador nesta temporada depois que as inundações repetidas no ano passado danificaram novamente as suas safras e comprometeram seus estoques.

TAILÂNDIA

Enquanto isso, a base dos preços do arroz 5% de quebrados na Tailândia subiu para $ 470- $ 500 por tonelada a partir de $ 467- $ 500 uma semana atrás.

“As cotações subiram um pouco porque havia alguma demanda da África por arroz parboilizado”, explicou um trader de Bangkok.

Outro trader disse que os exportadores têm arroz à disposição para embarcar, mas a demanda não tem sido espetacular. A demanda do Oriente Médio diminuiu durante o mês do Ramadã, acrescentou.

VIETNÃ

O arroz com 5% de quebrados do Vietnã, referencial para exportações, caiu para US $ 485- $ 490 por tonelada na quinta-feira, a menor taxa desde 10 de dezembro, diante de US $ 485- $ 495 praticados na semana passada.

“As vendas estão lentas porque muitos traders estão fora para um final de semana prolongado”, justificou um operador de negócios da cidade de Ho Chi Minh. “Alguns exportadores ainda estão comprando matéria-prima para os contratos assinados anteriormente.”

FUTURO
Os grandes pontos de preocupação na Ásia, neste momento, dizem respeito a uma demanda mais restrita da África e do Leste Asiático e também a onda de covid-19 na Índia, que poderá alterar o fluxo de embarques. Tailândia e Vietnã apostam nisso – e na manutenção da baixa nas vendas de Mianmar após o golpe militar – para ampliarem seus mercados, uma vez que seus preços são pouco competitivos frente ao país hindu. Ao mesmo tempo, notou-se movimentos mais fortes da China em direção a alguns mercados africanos, mas com grãos de qualidade inferior.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Receba nossa newsletter