Preços voltam às referências de novembro com Índia afetada por covid-19

 Preços voltam às referências de novembro com Índia afetada por covid-19

Enquanto caem na Índia, cotações se elevam nos países vizinhos

A variedade parboilizada, com 5% de quebrados da Índia, principal exportador mundial, <RI-INBKN5-P1> foi cotada de US $ 371 a US $ 376 por tonelada esta semana, contra a faixa de US $ 374 a US $ 379 da semana passada, em mais uma semana consecutiva de retração.

“Os suprimentos estão subindo à medida que a Food Corporation of India está liberando estoques de seus depósitos”, disse um exportador baseado em Kakinada, no estado de Andhra Pradesh, no sul do país, à agência internacional Reuters.

O segundo país mais populoso do mundo registrou infecções e mortes diárias recordes, pois o vírus se espalhou das cidades para as vilas e zonas rurais.

O país vizinho, Bangladesh, confirmou que está aprovada uma licitação para comprar 50.000 toneladas de arroz da Índia, transportada por meio de ferrovias pela primeira vez, enquanto o governo luta para segurar suas reservas cada vez menores.

“O arroz será fornecido pelas ferrovias da Índia pela primeira vez para que possa ser importado no menor tempo possível”, disse Shahida Akhter, uma autoridade governamental sênior de Bangladesh.

O arroz quebrado Vietnã <RI-VNBKN5-P1>, com 5% de quebrados, subiu para $ 490 – $ 495 a tonelada na quinta-feira de uma faixa de $ 485- $ 490 uma semana antes. “Os preços subiram após as notícias de que importadores estão fazendo pedidos de arroz vietnamita, incluindo compradores da Coreia do Sul”, disse um trader da cidade de Ho Chi Minh, acrescentando que os suprimentos estão escassos por causa das dificuldades das últimas safras.

“A colheita de inverno e primavera está quase acabando, enquanto os suprimentos do Camboja são interrompidos devido ao surto de coronavírus lá”, disse o comerciante.

Na Tailândia, os preços do arroz 5% de quebrados <RI-THBKN5-P1> caíram para $ 475- $ 485 por tonelada de $ 470-  $ 500 uma semana atrás.

A demanda de alguns compradores africanos estava empurrando os exportadores para garantirem o fornecimento para embarque, de acordo com traders que cotaram preços ligeiramente mais altos do que na semana passada.

“Alguns navios chegaram da África este mês para pegar arroz”, disse um trader de Bangkok.

Outros comerciantes citaram a demanda sem grande repercussão entre seus clientes.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Receba nossa newsletter